Pantera Negra, racismo, e as mulheres mais fodas do cinema

by - fevereiro 23, 2018

Hell-o, trevosinhas!

Esse post não tem spoilers.

Essa é a primeira semana que eu posto bem certinho na segunda, quarta e sexta. Que continue assim não é mesmo? <3 Essa quarta-feira eu fui no cinema com meu irmão assistir Pantera Negra e eu resolvi falar um pouco sobre o filme. O que talvez não fique explícito aqui no blog é que eu sou muito nerd e eu amo falar sobre isso. Confesso que ultimamente eu tenho lido pouquíssimas HQ's e quando leio, acabo relendo alguma que já li. Mas sigo assistindo séries e filmes nerds, sempre lendo algumas matérias sobre quadrinhos, RPG, filmes, ficção científica e etc, jogando, escutando podcasts. Talvez eu deva comentar mais sobre nerdices por aqui. E por isso eu resolvi falar meu ponto de vista sobre o filme Pantera Negra.


Rolou muita repercussão sobre o filme, teve gente da direita americana racista que tentou baixar a nota do filme no maior site de avaliação do cinema, o Rotten Tomatoes. Eu sei que no site fala que foram fãs da DC, mas vamos ser sinceros: fãs da DC tentaram boicotar Deadpool ou Logan, que desde antes de seus lançamentos já constavam como os maiores filmes nerds do ano (de 2016 e 2016 respectivamente)? Não. O que moveu as pessoas foi o racismo. Surgiu também uma onda de pessoas falando que brancos não deveriam assistir Pantera Negra, enquanto outro grupo defendia que brancos tinham sim que assistir pra haver uma mudança de opinião por parte dos mesmos. E qual minha opinião sobre tudo isso?

Fui assistir ao filme com a cabeça limpa, tentei o tempo todo não criar muitas expectativas sobre o filme, justamente para não me frustrar. Eu sou dessas pessoas que ficam muito tristes quando há um hype sobre o filme e quando o dito cujo finalmente sai é uma bosta (tipo Esquadrão Suicida que foi a maior decepção).

Mas eu tô aqui pra falar das mulheres. Logo na primeira cena conhecemos a Okoye (Danai Gurira, a nossa Michonne de The Walking Dead), líder das Dora Milaje. Dora Milaje é a guarda do rei de Wakanda e é um grupo com guerreiras de todas as vilas de Wakanda. Para proteger o rei (no caso, o T'Challa) elas devem estar à altura de suas habilidades. Okoye é forte e racional. Ela é extremamente habilidosa, estratégica e corajosa. Em nenhum momento rola um olhar de medo diante do perigo vindo dessa mulher. O que eu acho maravilhoso é que a atriz demonstra um outro senso de poder feminino, o que a torna completamente diferente da Michonne, por exemplo. Excelente atuação é o nome disso. Eu achei a Okoye muito foda, ela é a general das Dora Milaje e trata todas como igual. Tem um ponto do filme que tem uma discussão dela com a Nakia que mostra que ela entende o problema de Nakia, mas que está firme em sua decisão.


Logo depois conhecemos Nakia (Lupita Nyong'o, 12 Anos de Escravidão). Nakia é outra Dora Milaje. Acredito que a história dela na MCU (Marvel Cinematics Universe) vai ser diferente dos HQ's, mas não vou falar muito pra não dar muito spoiler. Nakia é uma mulher forte que saiu de Wakanda para ser voluntária, e quando T'Challa encontra ela, ela está em uma missão de resgate salvando outras mulheres. A Nakia no filme é a primeira pessoa que fala pro T'Challa que existe muita coisa acontecendo fora de Wakanda e que o isolamento do país não a conforta, que ela quer ajudar pessoas que precisam de sua ajuda fora de Wakanda. A atuação da Lupita está excelente, mas minha opinião é que poderia ter desenvolvido um pouco mais a personagem. Achei que ficou faltando mais informações sobre ela, sabe? Mas o filme tem uma hora e quarenta e cinco minutos de duração, então talvez tenham achado muito longo e cortaram algumas cenas.

Shuri (Letitia Wright) nos quadrinhos é a meia-irmã do T'Challa. O produtor do filme diz que sua mente se comparará a de Tony Stark. Pra quem não sabe, Wakanda é um país fictício da África, completamente isolado de relações internacionais. Isso porque na verdade, Wakanda tem vibranium por todo o lado, e como vibranium é o metal mais resistente do universo, Wakanda tem que permanecer em segredo. Ou seja: o mundo exterior só vê uma fachada de Wakanda, é como se Wakanda fosse o castelo de Hogwarts e só quem consegue ver e entrar é quem pertence ao lugar. Shuri não é apenas uma princesa, mas é a mente por trás de toda a tecnologia atual de Wakanda. Nos quadrinhos ela até se torna rainha e veste o manto do Pantera Negra. Ela é, meus amigos, o que chamamos de um "crânio". Além disso, é também uma excelente guerreira. Ela quem criou o uniforme de seu irmão e um carro de vibranium. Um fucking carro de vibranium controlado remotamente. Graças à ela Wakanda progrediu ainda mais tecnologicamente, cimentando seu posto de nação mais tecnológica do mundo. Foi a personagem que mais ganhou minha admiração.


Outra mulher que acho importante destacar é a Ramonda. Ramonda é a mãe de Shuri e viúva de T'chaka, o pai do atual rei T'challa. Ela trata o T'challa como filho e o defende até o último minuto. Você sente nela aquela força de mãe, sabe? De alguém que se preocupa com os filhos, mas os apoia em suas decisões. De alguém que prefere correr riscos ao defender os filhos do que ficar calada. Mulheres não são fortes apenas em cenas de ação. Mulheres são fortes pelo que passam e mesmo assim se mantem resilientes. Ramonda perde o marido, vê conflitos em sua nação, se preocupa com seus filhos e mesmo assim demonstra força. Calma. Sabedoria.

É claro que Pantera Negra é um filme a ficar na história. É atualmente o filme da Marvel com melhor avaliação e uma das mais promissoras bilheterias até o momento. É um filme que mostra como provavelmente seria um país da África que não foi explorado por colonizadores e nem teve todas as suas riquezas roubadas por homens brancos. É um filme dirigido por um negro, com elenco quase todo negro (as exceções são o Martin Sheen e o Andy Serkis), com produção cheia de negros e negras. Atores de destaque estão no filme como Forest Whitaker, Michael B. Jordan, Daniel Kaluuya e muito mais.

O nome Pantera Negra veio do movimento dos Panteras Negras, grupo que lutava pelos direitos da população negra na década de 60 nos EUA. Foi daí que o Stan Lee tirou inspiração para criar o heroi do filme desse post. Pantera Negra já veio pra ser revolucionário mesmo. Mas eu tô aqui pra quê? Pra falar de racismo, mas principalmente de mulheres.


Pantera Negra é um dos poucos filmes em que há diálogo entre mulheres que são protagonistas e nesse diálogo não se fala de homens. Vocês já perceberam que dificilmente mulheres tem destaque no cinema? E quando tem mais de uma mulher no filme, ou elas se odeiam ou são super amigas e estão sempre falando sobre relacionamento. Existe um teste chamado Teste de Bechdel, em que estabelece duas condições para os filmes serem aprovados em seu teste: 1) que haja mulheres tendo diálogo em filmes e que esse diálogo não seja sobre homens; 2) que essas mulheres tenham nome.

Pantera Negra claramente passa nesse teste, não só mostrando que mulheres fazem muito mais do que apenas conversar sobre ~mulherzices~ ou machos. Pantera Negra mostra que mulheres são fortes e não de força física. De força espiritual. Claro que algumas são as mais excelentes guerreiras, mas o filme mostra isso sem masculinizá-las (ex.: Brienne de Tarth de Game of Thrones) ou sexualizá-las (ex: Viúva Negra) por isso. Cada uma mostra sua força de maneira diferente. Shuri é um gênio, ambiciosa e a frente de seu tempo. Okoye é a líder das mulheres mais fortes de Wakanda. Nakia (também uma Dora Milaje) tem grande empatia e quer ajudar outras pessoas, principalmente as refugiadas. Ramonda tem a força da compaixão.


Quando eu vi a imagem acima eu quase chorei, sabe? De felicidade. De saber que o menino negro tem agora um heroi negro para se espelhar. Apesar de ter mais de 50 anos de existência nas HQ's, Pantera Negra só chegou ao conhecimento do grande público há menos de 5 anos atrás. É muito bom saber que vários meninos negros vão se sentir incluídos na brincadeira ao gritar: "Eu sou o Pantera Negra!". O que eu não sabia quando eu vi essa imagem é que eu ia ver o filme e descobrir que não são só os meninos negros que vão se sentir representados. Vai ter um monte de menininhas negras falando: "Eu sou a Okoye!", "Eu quero ser a Shuri porque ela é muito inteligente!" e "E eu vou ser a Nakia!". De repente me deu vontade de ser criança pra usar a imaginação e brincar de Shuri, sabe? Eu tenho certeza que nas brincadeiras infantis eu escolheria ela.

Essa força que o cinema tem mostrado ultimamente de mostrar mulheres fortes em filmes que crianças vão assistir é muito importante para que meninas enxerguem que elas podem. Elas podem usar a Força como a Rey, ou fazer uma missão rebelde como a Jyn Erso em Star Wars. Elas podem ser líderes da guarda do rei, como a Okoye. Elas podem combater o nazismo, como um dia fez a Mulher Maravilha. Elas podem ser mães (e se rolar a oportunidade, porque não rainhas?) como a Ramonda. Podem ser espiãs como a Viúva Negra e dominar vários idiomas. Podem ser voluntárias nos cuidados com refugiados, como a Nakia. O que essas personagens querem dizer é o seguinte: meninas e mulheres podem ser o que quiserem.

Pra finalizar: Pantera Negra não é apenas um filme que representa os negros. Não é apenas um filme que junta o que há de melhor entre os atores negros de Hollywood. Não é apenas um filme com uma excelente fotografia (é sério, tinha horas que eu queria falar pro cara pausar o filme no cinema pra eu apreciar as paisagens). Não é apenas um filme com excelente trilha sonora, ou com atuações sensacionais. Não é apenas o filme mais bem avaliado da Marvel até então.  Pantera Negra também é um filme que mostra pras menininhas e mulheres qual é o lugar da mulher e o que ela deve fazer. E Pantera Negra ensina que mulheres podem estar onde quiserem e fazendo o que quiserem.

P.s.: aqui tem um teste do Buzzfeed pra saber que mulher wakandiana você é. Eu tirei a Shuri! IUSAHDUSAHDUHASUHDUIAS

You May Also Like

2 comentários

  1. Oiiii Rafa!
    Tenho que confessar que não sou muito chegada em filmes de super-heróis, mas esse pantera negra me puxou literalmente para cinema pra conferir, eu me surpreendi, gostei bastante. Concordo com você todos os pontos que você apontou. E sim essas mulheres foram muito fodas! A personagem que mais gostei foi a Okoye. Não posso deixar de mencionar a trilha sonora do filme, que está incrível. Estou pensando em dar uma chance a Logan, porque a maioria das pessoas estão falando muito bem.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alice!

      Siiiiiiiiiiiiim, a Okoye é fodona demais! Que mulher maravilhosa! E que pena que tu não gosta de filmes de super-herois :/ Mas que bom que tu gostou desse, ele tava maravilhoso mesmo! E Logan é um baita filme, eu garanto que tu não vai te arrepender! Beijoooo!

      Excluir

• Comentários agressivos à autora ou aos leitores do blog não serão aceitos;
• Todos os comentários são respondidos, mesmo que demore uns dias. Se quiser acompanhar a resposta ao seu comentário, clique em "Notifique-me" que fica pertinho da caixa de comentário :)
• Se tiver blog, comente o link dele pra eu retribuir a visita :)
• Sua opinião é super importante e é o que me motiva a continuar postando. Obrigada desde já por comentar!